sábado, 20 de abril de 2013

Guilty Pleasure - Last Action Hero



Realizador: John McTiernan
Argumento: Zak Penn & Adam Leff (story) Shane Black & David Arnott
Actores: Arnold SchwarzeneggerF. Murray AbrahamArt Carney, Austin O'Brien


Como poderia não respeitar este realizador? Quem tem no CV o Predador, o 1º e o 3º Die Hard... Merece uma vénia! Ele sozinho significa 7 anos de adolescência com heróis de barba rija!

Vi este filme com 11 anos, acham que era sequer possível não AMAR isto? Era gajo para ter a idade do protagonista, era gajo para ter o ex-Mister Universo como grande ídolo, era gajo para todos os dias sonhar em ter a experiência que o puto teve!
Entrar num filme com o Schwarzenegger??? Assim??? Ter um bilhete dourado e às tantas fazer parte do enredo e ainda perceber que sei mais que eles todos???

Ok, com 11 anos não era assim tão estúpido... já sabia que isto não era possível mas o imaginário tinha sido criado e eu adorei a ideia... De repente temos um filme que relata o exagero da vida dentro de um filme. As explosões exageradas, os tiros demasiado certeiros, as miúdas todas giras em demasia, cartoons no meio de seres-humanos, vilões demasiado óbvios, saltos e voos épicos, tudo! Tudo o que um filme de ação pede e... Schwarzenegger!!

O filme é uma sátira à diferença entre os filmes de ação e a vida real. Não é um filme que quer ser bom, não é um filme que se leva a sério. É um filme com excelentes cenas de ação e com uma dose muito razoável de momentos cómicos. Um exercício muito interessante que claro que podia ter uma abordagem muito melhor, mas simplesmente não quis... apenas quis ser entretenimento puro.

Uma coisa é certa... Neste filme percebemos que a vida real é de facto mais "profunda" mas tem muito menos piada... A casa do Schwarzenegger está vazia mas parece que o mundo real é ainda mais frio... Quem não se lembra do vilão a matar um gajo nas ruas de Nova Iorque e achar estranho não haver gritos nem sirenes? A única coisa que ouve é outro gajo a mandá-lo calar...

Uma das bandas sonoras melhor conseguidas em filmes do género, acho que todas as casas têm este CD na estante, AC/DC, Megadeath, Anthrax, Alice in Chains, Def Leppard, Aerosmith, Cypress Hill... Falta alguém?

Golpes Altos: Cenas de ação, imaginário, comparação da vida de filme com a vida real, realizador de culto.

Golpes Baixos: Schwarzenegger é dos piores actores de sempre mas não quero sequer "ler" se os protagonistas vão ou não bem... é o que menos importa! Não imagino sequer outro gajo a fazer este filme, está perfeito.

Ah, espera... o Austin O'Brien é que é o pior actor de sempre... 

12 comentários:

  1. Amen! Um dos filmes mais importantes da minha infância, sem sombra de dúvida. Sempre um encarei como um 'Cinema Paraíso' com mais porrada!

    ResponderEliminar
  2. Esse é um daqueles filmes que integra o ilustre e algo restrito leque dos "Filmes que de tão maus que são, acabam por ser geniais", sendo que, na minha modesta opinião, tal lista é encabeçada pelo grande "The Last Boyscout".

    Épico.

    ResponderEliminar
  3. Eu discordo, não acho - que nem este nem o "Fúria do Último Escuteiro" - sejam maus filmes. São filmes que não pretendem ser mais do que são. Mas este então, se não fosse pelo Schwartznegger ser péssimo actor, nem o consideraria um Guilty Pleasure.

    ResponderEliminar
  4. É mau filme na medida em que foi feito para o ser. Há aqueles filmes maus que o são porque até se tentou fazer uma coisa como deve ser, mas o tiro saiu completamente ao lado. Vide, por exemplo, o Alexandre o Grande.

    Depois, há aqueles filmes que, tal como dizes, não pretendem ser mais do que são, ou seja, foram mesmo feitos para ser maus. E por isso mesmo, são bons. E é exactamente aqui que se inserem os filmes que referi.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Entendo, mas tenho uma adenda a fazer: Alexandre o Grande é o pior épico de sempre MAS: melhor cena de sexo de SEMPRE com a Rosario Dawson. De sempre!!!

      Eliminar
  5. Eu até tinha os cartões de colecção deste filme, em Castellano lol

    Acho-o o melhor filme de sempre do Arnaldo, uma lufada de ar fresco no género e na carreira, tal como o JCVD fez pelo Van Damme.

    A cena do trailer do Hamlet é deliciosa, as referências ao mundo do cinema clássico (bus stop ou sétimo selo) e moderno (Amadeus, Looney Tunes ou Terminator). É um filme que se debruça sobre o papel do cinema na vida e se decide pelo valor do entretenimento.

    PS: Como te pudeste esquecer do Michael Kamen e do Buckethead (quem diria nesta altura, que iria substituir o Slash)? lol

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Epah finalmente alguém refere o JCVD. A merecida homenagem a um grande homem e um grande nome do cinema de acção. Filme maravilhoso - e não é que o gajo é bom actor em francês?

      Eliminar
  6. Guilty pleasure dessa altura para mim era o Karate Kid.
    O Mr Miyagi ainda hoje vive em mim, especialmente nas limpezas de vidros:

    Wax on... wax off. Wax on... wax off.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Karate Kid é um Guilty Pleasure assumido. Subscrevo.

      Eliminar
  7. Isto não é um guilty pleasure. É uma obra-prima de entretenimento (que também é, ou pode ser, grande cinema).

    Palavra de MOP.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordaria, não fosse o Schwartznegger péssimo... péssimo. lol

      Eliminar